O Antagonismo Japonês

O Japão está entre as maiores e melhores potencias mundiais em tecnologia e inovação. Eles “exibem” uma cultura multifacetada, com tradições milenares.

Lá, uma característica que se destaca é o uso dos meios de pagamento no dia a dia dos japoneses.

Para uma população tecnologicamente evoluída, parece lógico que o país seria um grande usuário de novas tecnologias para pagamento de despesas diárias.

Ao invés de dinheiro (cash), imaginaríamos que os japoneses utilizassem o smartphone ou cartões de crédito, por exemplo.

Os cartões de crédito são aceitos em hotéis e nas lojas grandes das cidades mais importantes, mas o Japão é um dos países desenvolvidos com menor índice de penetração desse meio de pagamento.

O curioso é que, embora muitos lugares ultimamente aceitem cartões de crédito, Samsung Pay e outras formas de tecnologia sem dinheiro, a quantidade real de notas e moedas que circulam no país dobrou em duas décadas, enquanto a economia e a população encolheram nesse mesmo período.

É algo completamente contraintuitivo considerando que o país é um berço de inovação tecnológica.

Fica a pergunta: os japoneses gostam de papel-moeda e moeda metálica?

A resposta é sim, o Japão prefere meios físicos. Como afirma a Bloomberg, “as anyone who has visited Japan knows, cash is still king”.

Qualquer um que visite o Japão vai perceber, o dinheiro ainda é rei.

Surpreendentemente o Bitcoin parece estar mudando essa realidade cultural milenar japonesa.

A rapidez com a qual o Japão adotou o bitcoin chama a atenção exatamente pelo fato de ser um país com grande apego ao dinheiro em cédulas de papel.

Bitcoin gera grande alvoroço no mercado financeiro

O grande antagonismo é que apesar dessa tradição de papel-moeda, um país afeito à tecnologia e disrupção não podia ficar de fora da revolução digital criada pelo mundo cripto e de blockchain.

De fato, o Japão tem se interessado nos desenvolvimentos de tecnologia Bitcoin e blockchain desde o princípio.

No Japão já é possível pagar com bitcoins em restaurantes, lojas de equipamentos eletrônicos e até a conta de gás, graças a uma legislação pioneira que gerou a febre do ouro digital no país asiático e fez sua cotação disparar em nível global em 2017.

Então, será que a revolução digital iniciada com o Bitcoin poderá mudar uma tradição tão arraigada na cultura japonesa? Seria algo simplesmente extraordinário. Que façanha hein, Satoshi Nakamoto?

E você sabia que…

…desde 2018 a Alemanha considera bitcoin como meio de pagamento, e ainda liberou outras criptomoedas para uso?

Também, no Japão, desde 2017, as criptomoedas foram liberadas como meio de pagamento pelo governo japonês.

…nos EUA, Ohio se tornou o primeiro estado a aceitar pagamento de impostos em Bitcoin, em novembro de 2018, e pretende ainda aceitar outras criptomoedas?

…muitos produtos e serviços já podem ser pagos com Bitcoin:

Carros, viagens, apps… já passam de 13 mil os estabelecimentos que recebem a criptomoeda como forma de pagamento.

Usar moedas virtuais para a compra de produtos e serviços começa a ficar cada vez mais comum.

Se você ficou interessado

Queremos que você saiba tudo sobre esse novo mercado, onde você poderá conhecer de perto as diversas aplicações das criptomoedas como meio de pagamento.

Clique AQUI e baixe seu e-book GRÁTIS!

Garanta seu exemplar e aproveite a próxima onda das moedas digitais.

Você Gostou? Compartilhe!